top of page

Mais uma experiência intergeracional



No passado dia seis, a turma G do 8ºano, na disciplina Cidadania, voltou ao Lar da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim para mais uma experiência intergeracional.

Foi uma tarde muito especial, com uma tertúlia recheada de bolachas de chocolate, feitas pela Sofia, doces, ovinhos e coelhos da Páscoa. Partilharam-se conhecimentos, sorrisos, afetos, memórias, desejos, muita alegria, peluches e até unhas se pintaram, e muitas!

Pretendeu-se, assim, reforçar a auto-estima destes utentes para se sentirem valorizados e realçar os seus sentimentos de felicidade, desvanecendo a solidão.

Um muito obrigada à Dr.ª Paula e à Dr.ª Sílvia por nos fazerem sentir “em casa”!

Professora Carla Brandão

 

“Pedi conselhos, conversei sobre o desporto moderno e antigo, a escola, os brinquedos, ajudei a pintar as unhas das idosas e aprendi a colocar os guardanapos antes do lanche às utentes (…)”.

Bernardo Menezes


“A primeira senhora com quem falei estava sempre a mexer na carteira porque achou que a tinham roubado e queria-nos oferecer dinheiro, mas eu disse que não era preciso e que o melhor que nos podia oferecer era o seu conhecimento.”

Beatriz Marques


“A senhora Margarida disse-me: Siga uma boa profissão. Não vá atrás das raparigas que elas são muito enganadeiras.”

Dario Filho


“Mal cheguei, senti uma conexão com a Dona Laura, que é uma utente de 79 anos a quem lhe dei um chocolate. Deu-me beijinhos e um abraço e disse-me que aquilo significava muito para ela.”

Inês Ferreira


“Relataram que na infância brincavam com o jogo do pião e às cordas já que não havia muita mais coisa. Na adolescência não havia cinema ou shopping para se divertirem e na idade adulta eram “escravas” não podiam fazer o que queriam, não podiam dizer o que pensavam e estavam sempre exaustas de fazer as tarefas de casa e tomar conta dos filhos.”

Íris Pereira


“Este é um lugar onde as histórias se entrelaçam, como a do meu avô, que um velhinho me contou que o conheceu, o que me comoveu imenso pois nunca o conheci pessoalmente”.

Laura Fonseca


“Uma senhora perguntou-me o que era preconceito e eu expliquei-lhe.”

Jéssica Coelho


“Contando-me as suas vidas e eu a minha, esta visita ajudou-me a refletir sobre a minha pessoa e a minha forma de pensar, tornando-me um ser mais maduro e confiante de mim mesmo”

Joaquin Okada

 

“Lembro-me de uma senhora muito simpática ter perguntado se eu era chinesa, eu respondi que sim. Disse que eu era muito bonita porque aqui no Lar era uma cara muito desconhecida e eu fiquei muito contente. (…)

O senhor Joaquim, sabia uns quebra-cabeças impressionantes e conheci um senhor que tinha 101 anos, o qual me espantou muito a sua jovialidade”

Letícia Ying


 “Conversamos muito tempo com o senhor "Toni" que gosta muito da Santa Casa e dá-se bem com tudo e todos (…) às vezes, até se ri dos patos a fazer quack quack pois diz que têm uma língua só deles!”

João Vinhais


“(…) descobrimos que tinha sido fadista no passado e pedimos para cantar uma canção.  Ao ouvi-la, senti logo que ia chorar, pois cantava tão bem que queria ouvir aquele canto mais vezes”.

Laryssa Morais


“Pessoas tão doces, educadas e queridas que tem uma vida para partilhar connosco, mas nunca vamos ou temos interesse de lá ir; deveríamos dar a atenção devida aos outros para recebermos futuramente o mesmo.”

Rafaela Colsman

 

 

 

 

182 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page